menu

Image Map

16 fevereiro 2016

RESENHA DO LIVRO: COMO SER UMA PARISIENSE EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO





Paris… Paris… um lugar lindo, encantador e mágico. Somente quem conhece este lugar incrível sabe bem do que  estou falando. E se você ainda não conhece e pretende um dia,  te digo com certeza. Você irá amar esse lugar! Paris simplesmente me fascina, se eu pudesse faria agora mesmo as minhas malas e  mudaria para lá,  moraria o mais perto possível da tão famosa e amada Torre Eiffel.  Amo  Paris... as  fotografias, objetos, livros... Fico tão inspirada  ao lembrar - me de Paris. Gosto tanto que tento trazer tais lembranças para minha casa.Em cada móvel ou cômodos da casa  é fácil encontrar objetos que lembrem Paris, a começar pela torre Eiffel !



Meses atrás  li o livro A Parisiense  da autora Ines de La Fressange, e adorei. Em breve farei uma resenha  em meu blog. Gostei tanto do livro que passei a interessar-me por outras obras relacionadas a Paris. A procura valeu a pena , encontrei então, outra obra : Como Ser Uma Parisiense Em Qualquer Lugar Do Mundo. Confesso que não sabia do que se tratava o livro, fiquei encantada pela ilustração da capa e o título despertou a minha  curiosidade.






Fiquei intrigada com a ilustração da capa , queria saber se era apenas um desenho que inventaram ou se era uma ilustração inspirada em alguém. E pesquisando descobri que a ilustração fofa se tratava de Caroline de Maigret, uma  modelo, produtora musical e musa da Chanel e da Lancôme. Muito conhecida no mundo da moda  , com características únicas, como seu cabelo despenteado, a franja caindo nos olhos, quase nada de maquiagem e um estilo mais despojado, enfim  um resumo da mulher parisiense.



Caroline escreveu o livro com mais 3 amigas parisienses, a escritora Anne Berest, a produtora de cinema Sophie Mas e a diretora e escritora Audrey Diwan.





Como Ser Uma Parisiense Em Qualquer Lugar do Mundo é uma obra que  desvenda o que é ser uma parisiense hoje em dia, como se comportam diante de situações cotidianas, com muito humor , ironia e leveza (e que vale para mulheres de qualquer lugar do mundo). O livro aborda diversos assuntos: moda, maquiagem, estilo, comportamento, trabalho, receitas culinárias, maternidade, casamento e muito mais. Sem contar nas ilustrações e fotografias belíssimas tudo em P&B, e muito bem produzidas. De um jeito descontraído , com  humor irônico,é  um livro ideal para aqueles dias de preguiça. Fácil de ler,que proporciona momentos de descontração e muitas risadas... 







Algumas dicas  achei válidas e acredito que qualquer mulher brasileira pode tentar colocá-las em prática . Outras  são bem ilusórias, serve somente para levar na brincadeira.

Nós mulheres já crescemos em uma sociedade que  pressiona, desde criança  a sermos sempre belas e impecáveis, como se fossemos robôs. Temos que estar 24 horas do dia perfeitas, com roupas elegantes, maquiagem e um lindo sorriso no rosto.  Mas sabemos bem que a realidade não é essa.

Que mulher nunca teve aquele  dia de desleixo total, e sentiu vontade de ficar de pijama o dia inteiro, de só tomar banho na hora de dormir e olhe lá! De não pentear os cabelos , chegar na padaria de pijama e pantufas? Todas nós merecemos um dia assim, leve, sem pressões, sem reboco no rosto, ou melhor dizendo maquiagem. Rsrsrs! Sem usar aquele sapato lindíssimo que você gastou uma fortuna ,parcelou em suaves prestações para o resto da vida,e que ainda machuca seu pé e da bolhas. Rsrsrs! Tem dias que quero sim,  parecer um panda, com  enormes olheiras, porque estou com preguiça de fazer todo aquele ritual demorado para maquiar. Mesmo que seja uma maquiagem básica, leva tempo!

Por isso amei  tanto ler este livro! A riqueza das fotos...as ilustrações. Claro que não seguirei á risca todas as dicas que estão no livro. Mas algumas nos levam a refletir que devemos ser mulheres reais, sujeitas a erros e sem frescuras.







O QUE NÃO ENTRA NO ARMÁRIO DE UMA PARISIENSE

(Chorei de tanto rir com essas dicas)



  • Logotipo. Você não é um outdoor.
  • Salto baixo. Porque estar por baixo quando se pode estar por cima?
  • Moletom. Nenhum homem deve testemunhar você de moletom. Fora o seu personal trainer. E olhe lá.
  • Botas fofonas, estilo Ugg. Não rola. (concordo)
  • Blusas que mostram o umbigo. Porque você não tem mais quinze anos.
  • Bolsa de marca falsificada. É que nem implante de silicone. Não é assim que se super um complexo.
  • Calça jeans muito espalhafatosas, com rasgos ou bordados. Essa é a roupa perfeita - para Bollywood.
  • Náilon. Poliéster. Viscose. Vinil. Deixam sua pele suada, pegajosa e brilhante. Ou seja, você não só fica fedendo, como isso se vê de longe. 






Destaco abaixo alguns trechos do livro que são dicas preciosas ,que nós brasileiras podemos praticar, lembrando da mulher Parasiense!

Menos é mais, sempre. Pele bem caprichada não equivale a duas camadas de base de alta cobertura. Deixe a sua beleza natural transparecer um pouco. As vezes um simples corretivo, uma máscara de cílios e um belo batom operam milagres. E cabelos com aparência natural.”

“ A parisiense está sempre atrasada. Ela tem coisas mais importantes para fazer, ao contrário de você. Ela nunca se maquia para um encontro romântico. Claro. Ela é naturalmente linda. Não precisa disso. Por outro lado, é capaz de passar batom antes de ir á padaria no domingo: e se ela cruzar com um conhecido?”

“Você não precisa comprar todas as roupas da moda (nem gastar fortunas) para estar bem vestida. Invista em peças clássicas e combine com acessórios ou peças mais baratas.”

“Foque em peças delicadas. Um pequeno colar que você ganhou da sua mãe quando fez 15 anos pode ser muito mais interessante do que um monte de jóias empilhadas sem valor sentimental. Se for usar bijuterias, que elas pareçam bijuterias. Nada mais cafona que usar “jóia fake”.




“Se você não tem esse hábito, não precisa saber cozinhar como uma chef internacional. Basta aprender a executar 1 ou 2 pratos salgados e doces que sejam fáceis de fazer em cima da hora.”

“Não tem a ver com ter ou não um corpo perfeito. Sexo bom é feito com vontade e sem frescura.”
“Valorize as pequenas coisas, as alegrias do dia a dia. A felicidade raramente se encontra em grandes acontecimentos.” ( Uma das minhas frases preferidas)




“Primeiro, só porque você está grávida não significa que você precisa girar 24 horas do seu dia (e das suas conversas) em torno disso. Continue sendo você mesma, mas agora, claro, com um guarda-roupa que comporte a barriga. Segundo, você não precisa que a sua vida gire em torno dos seus filhos para ser uma boa mãe. Crianças aprendem bastante também participando do universo adulto. “

“Rugas, linhas de expressão e cicatrizes são marcas que contam a sua história de vida. Claro que é importante se cuidar sempre, mas fazer muita plástica ou usar roupas inadequadas para a sua idade biológica só faz com que você pareça ridícula. Goste de você como você é, hoje, com todas as suas “imperfeições”.

Ela não usa um anel em cada dedo, nem tem um diamante em cada anel. 

Ela não usa um relógio de ouro que custa o preço de um carro de luxo, nem tem um carro de luxo parado na garagem. 

Ela não tem uma bolsa ostentosa com o nome da marca estampado.”

“Seja a melhor versão de si mesma”. (amo essa frase)






Ficha técnica


Título: Como ser uma parisiense em qualquer lugar do mundo
Autoras: Caroline de Maigret, Anne Berest, Sophie Mas e Audrey Diwan
Páginas: 249
Tema: Arte/Fotografia, Moda e Comportamento








3 comentários:

Thatiane Silva disse...

Gente esse livro deve ser maravilhoso.
Quero ler.

Beijos Tati

www.depoisdodomingo.com

Unknown disse...

Amei, eu tava querendi saber um pouco mais ssobre o livro ..obg..;-)

Unknown disse...

Amei, eu tava querendi saber um pouco mais ssobre o livro ..obg..;-)